fairy tail DESTINYs
Cadastre-se para ter maior acesso ao fórum!
Já é cadastrado? Faça o login para começar já a postar!







 
InícioPortalFAQBuscarRegistrar-seConectar-se


fairytaildestinys.tk
Top dos mais postadores
theWalker (2954)
 
Moon (1063)
 
~*:Sirius Lock:*~ (940)
 
Dante (919)
 
PuNCkZiHoO (727)
 
Ryukenshi (562)
 
Ramon (525)
 
Draco (498)
 
Legend|Gray (440)
 
Zack (421)
 
Últimos assuntos
» Qual Personagem Favorito e Porque ?
por Lukk Dom 22 Dez 2013, 12:12 am

» [Biografia] Mystogan
por allexallen Seg 27 Maio 2013, 1:39 pm

» [Biografia] Wendy Marvell
por allexallen Seg 27 Maio 2013, 1:31 pm

» [Apresentação] Dii
por headdiego Sex 13 Jan 2012, 8:35 am

» [Apresentação] Luke
por Rikudou Sennin Dom 08 Jan 2012, 3:50 pm

» [Apresentação] Rikudou Sennin
por Rikudou Sennin Dom 08 Jan 2012, 3:48 pm

» [RPG] Area de Dúvidas
por Sargis1984 Sab 07 Jan 2012, 2:09 pm

» Natsu & Lucy
por anacleto Sex 06 Jan 2012, 9:00 pm

Publicidade

[ Copy this | Start New | Full Size ]

REGRAS DA CBox:
1º - Não xingar
2º - Não perguntar sobre o RPG
3º - Não apressar os GMs nem Narradores
Caso não seja obedecido, 30% de Warn

Compartilhe | 
 

 [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 17 Set 2010, 10:46 pm

Nome da Fic: Diário de uma vampira híbrida feliz
Criador: Spinel
Status: Incompleta
Idade: Para todas as idades
Conteúdo: Romance, ação, comédia, conflitos, drama
Shippers: Spinel e Duke
Resumo: Uma vampira híbrida solta no mundo pode ser algo bem perigoso e divertido! Ela terá muitas histórias pra contar. Confusões de sentimentos e conflitos psicológicos fazem parte de seu dia a dia. Ela tem o poder de ser ela mesma mesmo que isso possa ser um tanto quanto irritante às vezes. Ela, uma semi vampira pra lá de esquisita, mas com um coração que vale por mil, relatará aqui aventuras e situações em sua vida pra lá de confusa. E aqui está ela em sua primeira fan fic: Spinel Fields, senhoras e senhores!

Capítulo I: A Descoberta

Era domingo e eu ouvia música no quarto. Meus pais faziam o almoço e eu curtia a solidão em meu recinto. Não que eu gostasse de ficar sozinha, mas acontecia comigo eventualmente. Eu odiava domingo. Não existia absolutamente nada pra fazer. Sexta feira tinha sido feriado e meus poucos amigos haviam viajado. Eu estava contemplativa e entediada. Perigosamente melancólica. O vazio que predominava em minha vida parecia pertubadoramente maior naquela manhã. A melancolia tomava conta do meu ser. Sem mais nem menos, eu comecei a chorar do nada. Eu não sabia qual era o propósito da minha vida e muito menos o que eu fazia ali. Comecei a ficar desesperada. Todo o meu desajuste na sociedade apareceu naquele momento. Meus amigos não eram tão meus amigos, meus pais não pareciam ser meus pais por inteiro. Era como se alguém estivesse abrindo meus olhos para uma nova - velha realidade. Eu me sentia estranha e meu vazio interior aumentava a medida que eu respirava. Começo a ficar nervosa com aquilo. Eu nunca havia sentido aquilo na vida. Eu começo a suar frio e a tremer muito. Não sabia o que acontecia comigo e eu não queria incomodar meus pais com medo que eles achassem que era frescura da minha parte.
“O que será isso? Será que eu vou morrer? Eu não quero morrer!”
Comecei a me arrastar procurando algo que nem eu mesma sabia o que era. Aquilo nunca tinha acontecido antes. Era a primeira vez que eu tinha o que viria a ser uma de minhas famosas crises. Tentei gritar por ajuda, mas as palavras não saíam. Segundos depois da tentativa, eu despenco no chão perdendo completamente a consciência. Eu estava largada no chão e, nesse momento, fui transportada para uma outra dimensão. Dimensão essa que eu nunca tinha visto na vida.
“Será o céu? Mas pera... Vermelho? Eu estou no inferno? Socorro! Quero sair daqui já! Eu não sou malvada!”
As pessoas nela eram muito brancas e tinham dentes afiados. Pareciam ser... Vampiros! O porquê de eu estar sonhando com aquilo, eu não sabia, mas não tardaria a descobrir. Eu estava intrigada com o sonho. Andava por lugares que eram marcados pela coloração vermelha e achava tudo estranhamente familiar. Era como se eu pertencesse a eles de alguma forma. Fui acordada do meu devaneio por minha mãe que estendia um copo que parecia conter suco de morango.
Welma: Spi! Baby! Acorda! Bebe isso! Logo!
Faço o que mamãe pede meio que sem entender o porquê de eu ter que beber suco de morango naquela situação.
Termino de beber e pergunto:
- O que houve comigo, mamãe?
Welma: Bom filha, eu não sei, mas teremos que ir ao médico ver isso...
- Eu nunca vou ao médico, mamãe! E você está mentindo! Você sabe sim! E isso não é suco de morango! O que você me deu pra beber?
Welma: Spi! O que deu em você?
- Nada! Eu só quero saber a verdade! Algo me diz que eu não sei a verdade.
Welma: Você precisa descansar, filha.
Minha mãe me tranca em meu próprio quarto e vai conversar algo com o meu pai. Eu tento ouvir a conversa pela porta e só ouço partes dela.
Welma: Siegfried, precisamos conversar!
Siegfried: O que foi, Wel?
Welma: Spinel está desconfiada. Ela teve uma de suas crises agora no quarto. Isso nunca aconteceu antes! Não entendo o porquê de acontecer agora. A gente tem dado sangue pra ela regularmente!
Siegfried: Ela não pode saber. Algo a deixou nervosa ou algo do tipo. Emoções fortes podem causar crises desse tipo. Ela está agressiva?
Welma: Está. Tanto que eu tive que trancá-la no quarto. Acho que ela tem idade pra saber, sim! Acho melhor conversarmos com ela sobre. Ela precisa saber a verdade!
Siegfried: Mas a gente prometeu não contar, amor. A gente prometeu a eles. Só quando ela tivesse idade pra saber. Você realmente acha que ela está preparada?
Welma: Siegfried! Ela está vivendo uma mentira! Não acho que isso seja justo com a nossa filha! Eu acho que ela precisa saber... Ela é maior de idade!
Siegfried: Ela não é nossa filha de verdade, Welma. Bree a abandonou no mundo! Se não fosse a gente, ela não teria ninguém. Cuidar de uma vampira híbrida sem fazer com que ela saiba disso é muito trabalhoso.
Welma: Bree a abandonou pelo bem dela. Ela ia morrer se Bree não fizesse isso! Ela estava salvando a filha e não a condenando.
Siegfried: Pra mim ela já nasceu condenada. Ela nunca foi normal... Eu a amo, mas não concordo que isso é vida que alguém deveria ter.
Welma começa a chorar e foi nessa hora que eu consegui, sabe-se Deus como, quebrar a porta do quarto pra participar da conversa.
- Acho melhor vocês começarem a me explicar tudo!
Eu nunca tinha visto meus pais daquele jeito. Eles se sentiam ameaçados por mim. A cara de terror deles era algo muito horrível e fazia eu me sentir uma aberração na minha própria casa. Eu não entendia o que acontecia comigo, só sabia que eu precisava de explicações. Foi mamãe que resolveu falar primeiro. Ela fala meio receosa:
- Filha. A gente vai contar. Mas eu quero que você saiba que não importa qual seja a verdade, a gente te ama.
Ela parecia um coelhinho indefeso ao falar isso e eu digo determinada:
- Acho bom mesmo!
Ela me contou que eu era adotada e que meu pai de verdade era um vampiro do mal que usou seus poderes para conquistar minha mãe biológica que era uma poderosa maga. Contou que a única forma de salvar a minha vida era fazer com que meu pai não soubesse da minha existência. E essas foram as únicas coisas que minha mãe exigiu deles: que nunca me contassem o que eu realmente era até eu ter idade suficiente para lidar com isso e nem contar que eu era adotada porque podia levantar suspeitas. Eles me explicam toda a história e ao final dela, eu não sabia o que pensar. Estava sem reação. O sonho agora fazia sentido. Eu tinha um componente vampirístico em meu ser. Minha fascinação por luz se explicou naquele momento. Eu era filha de um vampiro e de uma maga de luz. Fazia sentido eu não ter aversão a luz bem como ser fascinada por ela além de adorar sangue em certas ocasiões. Ansiedade, nervosismo, irritação, qualquer emoção forte podiam me fazer sentir necessidade de sangue. Bem como liberar um lado agressivo meu que eu não tinha muito controle sobre.
“Minha própria mãe não quis me criar? Eu sou um monstro! Filha de um monstro, pelo menos! Eu não quero me tornar um monstro! Eu não quero ser um monstro! Eu não quero viver essa vida!”
Despenco no chão e começo a chorar. Meus pais, que agora eu sabia que eram adotivos, ficam sem reação. Eu digo aos prantos:
- Eu quero ficar sozinha!
Saio de casa e vou para o jardim. Fico lá chorando perdida em pensamentos. Se alguém falou comigo, eu não distinguia vozes. Se alguém tentou se comunicar, eu não tomei conhecimento. Não ouvia nada além de um zumbido. Eu estava em transe profundo e não queria sair dele. Era mais fácil assim. Nada importava no momento. Eu olhava pro sol esperando que ele tivesse alguma resposta pra mim. Nenhuma resposta foi obtida e eu fiquei no jardim até de noite sem pensar em nada. Ao mesmo tempo que eu queria conhecer meus pais, eu tinha raiva deles. Minha vida teria sido bem mais fácil se eles tivessem me criado. Eu não me sentiria tão diferente como eu me senti a vida toda. Talvez se minha mãe biológica tivesse me criado. Meu pai não inspirava muita confiança. Ele parecia me odiar muito a ponto de nem querer que eu existisse e de por fim a minha vida caso soubesse da minha existência. Era horrível pensar nisso. Voltei a chorar e não pensar em mais nada. Preferia fugir da realidade a enfrentá-la.


Última edição por Spinel em Sex 22 Out 2010, 1:53 pm, editado 6 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Alexis
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 82
Jewels : 5020
Warn : 0%
Data de inscrição : 14/08/2010
Idade : 30
Localização : Hosenka

Ficha do personagem
Guild Atual: Nenhuma
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 17 Set 2010, 11:21 pm

O que dizer? amei a fic ^^
A hora que ela destrói a porta, eu ri kkkk
Muito bom Spinel! Continue postando que eu irei ler com maior prazer ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Duke Burera
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 305
Jewels : 8401
Warn : 0%
Data de inscrição : 30/07/2010

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 18 Set 2010, 1:15 am

Muuiito baummmmmmm Very Happy
Adorei, posta o Capitulo 2 logo q vc ja fezzz xPPP

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dartanhan
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 101
Jewels : 1398
Warn : 0%
Data de inscrição : 11/09/2010
Idade : 25
Localização : Mundo.

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 18 Set 2010, 2:36 am

Está muito boa a fic, posta o capitulo 2².
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Zack
Conselho
avatar

Conselho


Mensagens : 421
Jewels : 61
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/08/2010
Idade : 21
Localização : Behind you!

Ficha do personagem
Guild Atual: Blue Pegasus
Experiência:
500000/500000  (500000/500000)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Seg 20 Set 2010, 3:22 am

Poxa. Muito boa fix, Spinel-chan! Magos + Vampiros + Problemas emocionais = Sempre foda! XD
Ansioso pelo capítulo 2.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 21 Set 2010, 4:26 pm

Capítulo II: A Rejeição


Depois de algum tempo em conflito, às vezes pensando nos acontecimentos, às vezes divagando sobre o nada, eu resolvi dar uma volta. Já era de noite. Ao andar pela calçada, Bismark esbarra em mim. Ele estava desesperado. Ao me ver, ele me abraça aliviado.
Bismark: Que bom que você está bem, Spi! Fiquei preocupado! Sua mãe me avisou do seu estado. Eu estava indo pra sua casa saber como você estava e ver no que poderia ajudar.
- Que estado? O que minha mãe andou fofocando com você?
Bismark: Ela disse que você estava transtornada por causa de algo, mas não disse o que era. Imaginei que ela não soubesse e, por isso, queria que eu conversasse com você.
- Sempre se metendo na minha vida ela! Não sei por que ela se julga no direito! Nem minha mãe ela é! Pode ir se despreocupando! Garanto que você vai sair correndo quando descobrir o que eu sou.
Bismark: Como assim não é sua mãe? Como assim o que você é?
- Tome cuidado com o seu sangue! Se eu tiver crises, você está lascado. Me impressiona eu não ter tido nenhuma na sua frente.
Eu ria maquiavelicamente. Toda vida que eu tinha tido parecia uma verdadeira piada pra mim. Eu, decididamente, não estava bem.
Bismark: Spi... Você está muito estranha... Pode me explicar o que houve?
- Você quer que eu te mostre? Espera só eu ficar nervosa ou irritada ou qualquer coisa do tipo!
Bismark: Hein? Ainda tem traços da minha namorada aí dentro? Oi?
Ele fala isso batendo na minha cabeça como se ela fosse a porta de entrada de algum lugar.
- Outch! Isso dói! Agora está fazendo tum tum tum tóin! Não faz isso de novo! Credo!
Bismark: Desculpa! Que cabeça frágil você tem!
- Sua namorada ainda está aqui em algum lugar! Eu sou estranha, Bis! Sempre fui!
Bismark: Agora você está muito estranha, mas pra mim, você nunca foi.
Começo a rir de novo. Sentia que ninguém me conhecia. Era como se eu interpretasse um personagem de mim mesma durante toda minha vida. Alguém que parecia comigo, mas que não era eu.
Bismark: Pelo amor de Deus, Spinel! Que bicho te mordeu?
- Bicho nenhum! Mas se você continuar malcriado assim, eu vou te morder!
Bismark começa a ficar com medo de mim. Eu conseguia captar isso pela cara que ele fez. Por algum motivo, eu resolvi tripudiar em cima disso.
Bismark: Se você não vai falar, eu vou embora!
- Ficou com medo, foi? Achei que você era mais forte que isso! Eu vou falar sim... Relaxa! Mas antes...
Começo a beijar Bismark como eu nunca tinha beijado na vida.
Bismark: O que foi isso?
- Beijo, oras! Até parece que eu nunca te beijei!
Bismark: Não assim... Você não parece você, Spinel... Parece que tem outra pessoa no seu corpo...
- Tem sim! Uma vampira! E é isso que eu sou! Na verdade, não é bem isso... Eu seria uma vampira híbrida!
Bismark: O quê?
- Eu disse que você ia achar estranho! Mas é!
Bismark: Como funciona isso?
- Eu preciso de sangue de vez em quando, mas preciso me alimentar também. Eu não faço parte do mundo dos mortos, mas acho que seria mais feliz lá!
Bismark: Para de falar besteira, Spinel!
- Minha vida é uma farsa, Bis! Nós somos uma farsa! Como eu posso te amar se eu não sei nem quem eu sou? Eu me senti diferente minha vida toda e não sabia o porquê. Agora que eu sei, eu não sei o que fazer com isso. Quer dizer, eu sei. Eu vou embora!
Bismark: Eu ainda te amo, Spinel e não posso crer que justo você desistiu de mim. Desistiu de nós.
- Você ama quem acha que eu sou. Eu não sou quem você acha. Eu não sei quem eu sou e preciso fugir pra descobrir. É isso!
Bismark: Assim do nada?
- Eu não diria do nada! Bye bye, Bismark! Foi bom te conhecer e eu desejo pra você toda felicidade do mundo!
Bismark: Você ainda volta, Spinel... Eu não vou me despedir... É assim que você vai terminar comigo?
- Não conte com isso, Bis! E sim! Eu estou terminando com você! Creio que estou te fazendo um favor!
Dou um beijo no rosto dele e volto correndo pra casa. Arrumo minhas malas e sou interceptada por mamãe enquanto faço isso.
Welma: Spinel, pra onde você vai?
- Não sei ainda. Só sei que vou e você não vai me impedir! Não tem sentido eu continuar aqui.
Welma: Filha! Me escuta! O mundo lá fora...
- Eu não sou sua filha e eu sei me virar!
Welma: Você não pode deixar que o gene do seu pai te domine! Você não é assim! Você é melhor do que ele!
- Eu sou tão melhor que ele que minha mãe teve medo de me criar e de enfrentar o que estava por vir. Não duvido que ela tivesse medo de mim também.
Welma: Você sabe que não foi isso, Spinel.
- Eu não sei de nada no momento! Só sei que vou embora pra descobrir!
Welma: Você ainda é uma criança...
- Vocês não deviam ter escondido isso de mim por tanto tempo. Agora é tarde! E eu já sou maior de idade!
Mamãe começa a chorar e eu fujo de casa sem nem olhar pra trás. A partir de agora eu seria uma nova versão de mim mesma e diria que a mudança foi pra melhor, mas eventualmente eu teria que lidar com aquilo que deixei pra trás querendo ou não.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Duke Burera
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 305
Jewels : 8401
Warn : 0%
Data de inscrição : 30/07/2010

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 21 Set 2010, 4:34 pm

Uhuuuuuuulll . Parece até novela xD

A Garota rebelde que termina com o namorado e foge de casa xDD

Mto bommmmmmmmmmmm

* Waiting for the next episode *
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 21 Set 2010, 7:09 pm

Eu garanto que no próximo capítulo essa coisa de novela se desfazerá!!! Hahahaha!!!!
Fico feliz q vcs estejam gostando!!!! ^_^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
xShiiNobi
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 13
Jewels : 78
Warn : 0%
Data de inscrição : 21/09/2010
Idade : 24
Localização : Another World

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 21 Set 2010, 9:27 pm

Excelente sua Fic realmente muito boa, a história está excelente e gostei bastante dos seus personagens, estou esperando o 3 capítulo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 25 Set 2010, 12:57 am

Peço desculpas pelo tamanho desse Capítulo!!!! O próximo será enorme!!!! Por isso peguei leve nesse!!! Hihihihi!!! Está singelo, mas explicativo, eu diria!!!

Capítulo III: Sozinha, por que não?


Eu havia decidido sair de casa, mas tinham dois pequenos detalhes que eu havia esquecido: eu não tinha dinheiro nenhum e não tinha onde ficar. Decidi acampar no jardim da minha casa enquanto decidia o que fazer.
“Fantástico, Spinel! Fico impressionada com a minha esperteza!”
Não demorou muito até eu ser descoberta lá. Foi papai que me achou lá em uma manhã dessas. Eu acordei e dei de cara com ele. Falo meio surpresa e sem graça:
- Bom dia, pai...
Siegfried: Você deixou sua mãe muito preocupada. Ela não sonha que você está aqui. Eu já desconfiava disso há dias.
- Eeer... Eu não tinha pra onde ir...
Siegfried: Bom, Spinel. Eu não acho que você esteja passando por uma situação fácil e você precisa de um tempo sozinha pra amadurecer. Existem inúmeras guildas pelo Reino de Fiore. Se você quer seguir o exemplo de sua mãe biológica, eu aconselho você a procurar uma delas. Pra saber controlar sua magia e não deixar que ela controle você.
Ele pega um pedaço de papel e anota vários endereços. Em seguida me entrega esse papel junto com algum dinheiro.
Siegfried: Eu sugiro a Fairy Tail. Era a guilda de sua mãe biológica. Creio que ela ficaria feliz de você treinar lá. Se bem que sua magia é bem diferente da dela... Acho que você deve se encaixar melhor na Lamia Scale. Esse dinheiro que te entreguei deve dar para suas despesas por algum tempo. Você deve conseguir o seu próprio por lá.
- Mas minha mãe biológica não me odeia?
Siegfried: Nunca odiou. Ela sempre perguntava de você. Sempre teve medo de te conhecer porque tinha medo do que podia acontecer. Sua mãe sempre foi uma pessoa bastante emocional. A coisa mais difícil que ela deve ter feito na vida foi ter que entregar você pra nós. Espero que você entenda que foi para o seu bem.
- Eu entendo... Acho que eu estava com a cabeça meio quente e descontei na mamãe... Acho que foi um grande choque descobrir que sou adotada. Devo pedir desculpas pra ela?
Siegfried: O melhor que você faz agora é ir. Sua mãe vai entender com o tempo. Você precisa disso, Spinel. Acredite em mim.
- Obrigada, papai! Te amo!
Dou um abraço forte nele. Ele sorri e me acompanha até a saída do jardim.
Siegfried: Até mais, filha. Eu também te amo.
Ele abana da porta e eu abano de volta sorrindo. Me viro e começo a seguir meu caminho. De repente, ele me grita e eu olho. Ele corre em minha direção com uma garrafinha em mãos. Ele me entrega a garrafinha.
Siegfried: Leva isso com você! Aqui tem para alguns dias. No hospital da cidade tem um enfermeiro chamado Hior. Ele sabe da sua situação. Ele sempre guarda um pouco de sangue pra você. É só falar que você é a Spinel que ele saberá. Inclusive vai ficar feliz de te conhecer. Passe lá toda quinta para renovar o estoque.
- Ok! Obrigada, papai!
Dou um beijo na bochecha dele e sigo meu rumo em direção a Lamia Scale.
Pego uma carruagem mágica e sigo para a guilda. Nem presto muita atenção na paisagem, mas passo a viagem toda com a impressão de que alguém me seguia. Mas toda vez que olhava pra trás, não havia ninguém.
“Que estranho! Acho que estou doida!”
Eu estava em crise, mas queria ser aceita e acho que comecei a falar pelos cotovelos por conta disso. Não saberia dizer se essa era a melhor forma de superação, mas foi a que eu encontrei pra não pensar no ocorrido. Falar mais do que pensar seria a chave do meu sucesso. Por conta disso, passei boa parte da viagem conversando com o cocheiro e perguntando sobre todas as guildas. Cheguei a mesma conclusão que papai depois de ouvir o que o moço falou sobre elas. A melhor para mim era mesmo a Lamia Scale e era pra lá que eu ia.
Chegando em frente a construção, eu me apaixonei pelo lugar à primeira vista. O prédio era lindo e o clima parecia ser ótimo. Pergunto onde fazia a inscrição, vou até lá e já a faço de imediato. Só precisaria aguardar meu teste. Saio do local e dou uma volta pela cidade. Eu teria que esperar meu teste até o dia seguinte. Me hospedo em um hotel na cidade e passo o dia me divertindo sozinha. Descobri que era algo que eu sabia fazer. Chego exausta no hotel e capoto na cama.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Dartanhan
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 101
Jewels : 1398
Warn : 0%
Data de inscrição : 11/09/2010
Idade : 25
Localização : Mundo.

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 25 Set 2010, 3:33 am

Muito bom este capitulo, muito legal espero que o capitulo IV seja melhor ainda hehehehe.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
theWalker
Administrador
avatar

Administrador


Mensagens : 2954
Jewels : 8335788
Warn : 0%
Data de inscrição : 13/01/2010
Idade : 23
Localização : Bem longe de você.

Ficha do personagem
Guild Atual: Nenhuma
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Qua 29 Set 2010, 7:39 pm

Zaack escreveu:
Poxa. Muito boa fix, Spinel-chan! Magos + Vampiros + Problemas emocionais = Sempre foda! XD
Ansioso pelo capítulo 2.

Crepúsculo me veio a mente '-'

O capítulo 1 mostrou uma Spinel de um jeito, já o 2 mostrou uma completamente diferente já... será por causa do efeito do Saber?
Eu estava na espectativa que no 2 ela saisse matando alguém -q Mas quebrou o ritmo beijando o Bismark -q
Pensei totalemnte diferente o que ia acontecer nos capítulo seguintes, mas você fez de um jeito que ficou muito bom...

Quero saber como você irá descrever sua chegada na Guild... se irá confrontar alguém.. ou até mesmo conhecer sua mãe antes de chegar nela. Isto só saberei no Capítulo IV se tiver ;D

-Mach


Jin First User - 75 / Zero Second User - 57




Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://fairytaildestinys.forumeiros.com
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Qua 29 Set 2010, 7:55 pm

Eu diria que é efeito conflito interno, sabe? Ela passou a vida toda achando que era de um jeito, de repente, ela descobre que pode ter crises e que precisa de sangue nelas. Ela sempre se achou diferente, mas constatar isso foi um choque pra moça. Eu diria que ela surtou. Ela conhecerá a mãe dela, mas bem pra frente. Ela tem uma veia violenta que será exibida mais pra frente. Ela precisa conhecer o pai primeiro, sabe? Eu já postei essa parte do encontro nada agradável dos dois na Competição de Fan fic da nossa guilda. Postarei aqui depois também. ^_^
Obrigada a todos por lerem!
Fico feliz que estejam gostando!

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 01 Out 2010, 6:57 pm

Capítulo IV: Um teste sangrento

No dia seguinte, acordo descansada e o dia estava lindo. Vou até a guilda e descubro qual seria meu teste: ajudar nos preparativos para o Festival da Colheita. Tudo correu bem tirando uma situação um tanto quanto constrangedora que ocorreu comigo.
Eu me arrumo e trato de por uma roupa confortável porque eu sabia que aquele serviço daria trabalho. Tomo meu café da manhã reforçado e percebo que meu estoque de sangue tinha acabado de acabar.
“Ops! Hoje eu não vou conseguir mais... Terei que resolver isso amanhã. Tenho que rezar pra não ter crise de abstinência no meio do dia. Então, nada de emoções fortes, Spinel! Como se eu pudesse controlar isso! Aff...”
Assim que fiquei pronta, me dirigi ao centro. Chegando lá, pude reparar na quantidade de pessoas ajudando. Eu não conhecia muita gente, mas precisava ajudar. Vejo ao longe uma moça bonita que parecia ter minha idade. Ela tinha o cabelo lilás bem moderno. Achei que devia falar com ela.
- Olá moça! Com licença! Eu me chamo Spinel. Muito prazer! Achei seu cabelo lindo! E você também pareceu ser muito simpática!
Ela sorri e responde calmamente e muito simpática.
Miya: Bom dia, Spinel. Meu nome é Miya. O prazer é meu.
A gente começa a organizar as coisas juntas e estávamos nos dando muito bem e conversando horrores. Ela parecia ser uma pessoa muito legal. Tudo estava ótimo, até que eu senti uma agonia conhecida e a qual eu não queria ter naquele momento. Era uma sensação esquisita de vazio. Eu odiava ter aquilo e não entendia porque estava tendo naquele momento, mas acontecia às vezes e só tinha um único remédio pra isso: sangue. Eu comecei a suar frio e a tremer. Precisava agir rápido antes que fosse tarde demais.
“Ok, Spinel! Não desmaia, imbecil! Eu não vou fazer isso com a Miya... Ela vai me achar louca! Ela é minha possível primeira amiga! Não quero que ela me ache louca!”
- Miya! Preciso ir ao banheiro! Já volto!
Tento não transparecer meu estado deplorável e me dirijo ao banheiro. Antes de chegar lá, me deparo com um moço bem forte e tatuado.
“Acho que ele não vai sentir falta de um pouco de sangue, né?”
Sorrio pra ele em um momento de desespero e digo:
- Moço! Ajude uma híbrida desesperada! Eu preciso do seu sangue emprestado! Pode ser?
Ele me olha com cara de confuso e eu ataco o pescoço dele.
“Ótima primeira impressão, Spinel! Agora o moço, que você nunca viu antes, vai te achar louca! Perfeito!”
Tomo um pouco de sangue do moço, mas nada que ele fosse sentir falta. Assim que termino, viro pra ele e digo:
- Obrigada, moço! Meu nome é Spinel e você acaba de salvar a minha vida!
Dou um beijo na bochecha dele e sorrio. Ele se recupera do susto e ri da situação.
Bran: Tudo bem. Mas não seria mais fácil você me pedir que eu colocava em um copo pra você?
Eu falo sem graça:
- Creio que sim, né? Mas momentos de desespero, sabe como são, né? Desculpa mesmo, moço! Mas essa coisa de vampira híbrida é um tanto quanto complexa e nova pra mim tendo em vista que meus pais nunca me disseram até quando eu tive minha primeira crise e desconfiei de algo. Na verdade, nem meus pais eles eram... Acho melhor eu parar de falar! Você não tem cara de que quer ouvir confissões de uma vampira híbrida... Afinal, quem quer isso, né? Desculpa.
Bran: Sem problemas! Meu nome é Bran, a propósito. Muito prazer, vampira híbrida.
Ele sorri e eu me despeço. Precisava ir ao banheiro me limpar. Eu não estava muito acostumada a ter crises e ter que sair sugando sangue dos outros. Eu tinha minha garrafinha com sangue que carregava comigo sempre. Mas meu estoque tinha acabado e eu nem tinha como conseguir mais. Só no dia seguinte.
“Quantas crises mais eu teria até lá? Ai meu Deus! Melhor parar de pensar nisso!”
Volto pra perto de Miya e ela me pergunta o que houve. Eu meio sem graça e com a cabeça baixa explico o que houve morrendo de vergonha. Ela ri da situação e nem me acha doida conforme eu achei que ela iria achar antes. Continuamos preparando o festival e a festa tinha tudo pra ser um sucesso. Pelo menos a parte que eu e Miya organizamos. Fui pra casa me arrumar. Adorava festas e estava bem empolgada pra essa em especial. Depois do fatídico incidente da tarde, nenhum outro ocorreu. Fiquei com medo da noite. Mas eu precisava me manter calma porque as chances de ocorrerem eram bem menores se eu não ficasse nervosa. Ponho um vestido azul claro bem bonito e me maquio. Nada muito exagerado. A noite estava bem agradável e uma brisa suave balançava meus cabelos enquanto eu me dirigia ao local do Festival. Quando estava perto de chegar, vejo uma pessoa conhecida encostada na pilastra. Nós já tínhamos sido apresentados e ele seria minha possível dupla caso eu conseguisse ser aceita na Lamia.
“O que Ícarus faz ali sozinho? Será que devo falar com ele? Acho melhor dizer oi por educação, afinal, eu o conheço, né?”
- Olá Ícarus! Lembra de mim? O que você faz aqui tão só? Não vai ao Festival?
Ícarus: Eu irei sim. Daqui a pouco.
- É seguro você ficar aqui sozinho? Não quer que eu te faça companhia? A gente pode entrar juntos.
Ícarus: Precisa não... Eu estou bem.
- Posso ser sincera com você? Se a gente for trabalhar juntos, é bom você começar se soltando, mocinho! Eu não mordo! Quer dizer... Só se estritamente necessário... Quer dizer... Eu não queria te assustar, mas não consigo mentir. Mas acho que você não quer ouvir isso, quer? É que eu sou vampira híbrida e tenho crises de abstinência, mas eu costumo carregar uma garrafinha de sangue comigo. Mas hoje está em falta! Infelizmente... Mas eu não vou ter crise nenhuma, afinal, eu já tive uma hoje! Pra que outra, né?
Sorrio pra ele e percebi que ele riu com meu falatório todo. Fiquei mais calma depois dele ter rido. Melhor do que ser enxotada era. Era bom saber que ele tinha senso de humor.
A gente conversou um pouco e decidimos ir ao festival depois de um tempo. Ao chegarmos lá, o lugar estava lindo. Bem iluminado e alegre. Pessoas conversavam e riam. Luz era uma coisa que me fascinava. Foi por isso que eu parecia uma besta quando os fogos de artifício começaram. Eu achava tão lindo aquilo. Eram como se fossem estrelas coloridas no céu tentando dizer algo. Eu sabia que era meio bobo ter essa opinião sobre fogos de artifícios, afinal, eram só fogos de artifício. Mas eu não conseguia simplesmente ignorar a existência deles e não ficar deslumbrada com a luz que emanava deles. Eu meio que me desligava do mundo. Se alguém falou comigo, eu nem percebi. Eu entrava em uma espécie de transe ao ver luzes brilhantes. Podia parecer bem estranho, mas eu me sentia bem com aquilo. Assim que os fogos terminaram, eu falei animadamente com Miya e apresentei Ícarus pra ela. Ele começou a falar mais depois de alguns minutos. Eu estava conversando animadamente com os dois quando sinto um cutucão nas costas. Era Bran. Abraço-o, sorrio e digo:
- Calma! Eu não vou te morder! Já basta uma vez, né? Desculpa de novo.
Bran: Que isso. Se precisar, estamos aqui.
Ele ri e eu também. Apresento-o pros outros e todos conversamos descontraidamente. A comida estava ótima e a decoração de muito bom gosto. As músicas também estavam muito animadas. A festa estava realmente linda. Os fogos de artifício só foram o começo do que estava por vir. A próxima atração era um show de magia. Show esse que não deixou a desejar. Eram magos qualificados que vieram de todos os lugares do mundo só para o evento. Parecia show da Broadway, mas nada era efeito especial. Era tudo de verdade. Eles pareciam pintar no ar. Eu me sentia mais encantada quanto mais as magias iam acontecendo na minha frente. Era como se eu pertencesse aquele lugar. Era como se eu tivesse no lugar errado boa parte da minha vida. Eu estava muito feliz de estar ali. Eu fiquei tão emocionada que resolvi extravasar. Talvez não devesse fazer aquilo, mas quando vi, já tinha dado uma de chorona emotiva patética. Digo:
- Que bom que eu estou aqui, gente! Eu me sinto feliz perto de vocês todos!
Eu sorrio sinceramente e ainda era possível ver as lágrimas escorrendo do meu olho. Miya olha pra mim e me abraça. Ícarus e Bran sorriem ao ver a cena. Eu não saberia dizer se era porque eu era muito patética ou se era porque eles estavam felizes por me verem feliz. Preferi não divagar sobre isso e disse subitamente:
- Chega de choradeira! A festa está muito linda para não ser aproveitada!
Começamos a dançar depois disso e assistir os desfiles de carros mágicos que traziam mais magos. Eu continuava deslumbrada com tudo aquilo. Em determinado momento, eu não saberia dizer qual porque estava tão concentrada que não ouvi ninguém se despedindo, Bran e eu ficamos sozinhos assistindo ao desfile. Ao perceber isso, digo:
- Pra onde eles foram?
Bran: Não sei... Nem os vi sair também.
- Será que a gente deve procurá-los? Será que aconteceu algo? Acho que seria normal eles se despedirem, não?
Bran: Quer procurá-los?
- Acho que seria bom pra saber como eles estão.
O lugar estava bastante lotado e eu estava meio perdida. Percebendo isso, Bran tomou a frente, pegou na minha mão e foi nos guiando pela multidão. Eu não era muito fã de multidões. Ficava meio desnorteada quando tinha que enfrentar alguma. Depois de andar algum tempo, eu e Bran não encontramos nenhum dos dois e desistimos de procurar. Acabamos perdendo parte do primeiro espetáculo mágico na confusão toda. Começamos a assistir o segundo e eu sinto o vazio conhecido de novo. Quando eu achei que estava tudo ruim, as coisas ficaram piores. Eu comecei a ficar tonta de novo. Eu rezava pra Miya e Ícarus estarem bem e estava apreensiva com isso. Por isso a crise decidiu me atacar.
“Ah não! De novo não! Duas no mesmo dia? Eu não mereço isso!”
Bran olha pra minha situação e já entende o recado. Ele estende o pulso e eu tomo um pouco de sangue. Digo depois do ocorrido:
- Eu não sei mais como te agradecer, Bran. Sério. É a segunda vez que você, literalmente, salva minha vida.
Bran: Digamos que eu estava no lugar certo e na hora certa. Mas você precisa arranjar sangue, mocinha. Duas vezes no mesmo dia não seria preocupante?
- Eu não sei exatamente como isso funciona... Eu não costumava ter crises quando estava na casa dos meus pais adotivos... A primeira vez que tive foi quando saí de casa. Será que é por conta da idade? Ok! Não faz muito tempo que eu fiz 18 anos! Talvez seja coisa com hormônios... Mas não diria que eu estou velha! Pode ser também porque eu fiquei nervosa, mas isso não explica minha crise de manhã...
Sento no meio fio e Bran senta do meu lado.
- Você me acha louca? Sério?
Bran: Eu não diria louca, mas não é todo dia que eu encontro uma vampira híbrida por aí chupando meu sangue. Fato. Eu diria que foi inusitado. Fico feliz de você ter me encontrado e de eu ter me alimentado direito. Acho que meu sangue está saudável.
Eu rio e Bran pega na minha mão. Eu não esperava por aquilo e entrei em modo pânico.
“Alguém explica isso? Ele está...”
Bran: Eu fiquei feliz de estar no lugar certo e na hora certa.
Ele sorri, eu instintivamente abaixo a cabeça e digo:
- Acho que eu preciso ir pra casa! Está ficando tarde e amanhã eu preciso...
Bran: Eu não queria te assustar.
- Você não assustou, Bran! Na verdade... Eu não sei exatamente ao certo o que está acontecendo comigo... E se emoções fortes piorarem esse negócio que eu tenho? Eu não posso te deixar sem sangue nenhum! E se for uma doença contagiosa? Eu não ia querer que você ficasse doente, sabe? Existe médico pra gente?
Bran (rindo): Bom, pra mim existe, pra vampiros híbridos, eu não sei.
Ele ri ironicamente.
- Ok! Preciso ir a um se existir. Ou ligar pros meus pais adotivos... Eles devem saber algo sobre. Mas eu não queria falar com eles... Eles mentiram pra mim minha vida toda... Amanhã eu consigo sangue no banco e problema resolvido! Eu terei minha garrafinha sangrenta de volta e nada de sair sugando sangue alheios por aí! Eu preciso aprender a me programar melhor, isso sim!
Eu sorrio e ele me ajuda a levantar. O agradeço e ele me acompanha até a entrada. Digo:
- Muito prazer, Bran! E obrigada por tudo! Duas vezes!
Bran: O prazer foi meu, Spinel. A gente se vê pela guilda!
Dou um abraço de despedida em Bran e vou andando até em casa prometendo pra mim mesma que nunca mais deixaria faltar sangue na garrafinha.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Dante
Habitante Ativo
avatar

Habitante Ativo


Mensagens : 919
Jewels : 16281
Warn : 0%
Data de inscrição : 19/04/2010
Idade : 27

Ficha do personagem
Guild Atual: Southern Wolves
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 02 Out 2010, 12:25 pm

Bom capitulo!

Coitado do Bran Atacado duas vezes AHUaUHUAHUAH

A Fic está ótimaaa

Esperamos mais episodiossss
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sharch
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 15
Jewels : 225
Warn : 0%
Data de inscrição : 25/09/2010

Ficha do personagem
Guild Atual: Nenhuma
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sab 02 Out 2010, 2:06 pm

O.O^^ A Fic ta 10, só fui ler agora mais ta ótima!!!Nunca faria melhor^^ Pq até prefiro que as ideas fiquem na cabeça^^ Mais mesmo assim ótimo! Adorei a fic e não pare do postar capitulos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 12 Out 2010, 2:49 pm

Capítulo V: Um quase beijo estrelado

Eu sabia que era muito cedo pra me relacionar com alguém. Desde Bismark, estava claro pra mim que eu não estava preparada pra isso por enquanto. Entretanto, eu era uma pessoa impulsiva. Eu agia por instinto várias vezes. Eu não sabia explicar porque isso acontecia, mas quando eu via, já tinha feito algo que não condizia com o que eu sentia ou condizia, mas eu não tinha noção daquilo. Assim que entrei para a guilda, eu arranjei um emprego de garçonete no Salão Principal. Eu havia conhecido Duke lá aquele dia e ele me encantou com seu jeito de ser. Talvez por isso, eu tenha me deixado levar pelos instintos. Nós conversamos muito e eu, por algum motivo, não queria sair de perto dele e não parava de lançar sorrisos pro garoto. Ele parecia não ter problema com o meu jeito peculiar de ser. Assim que meu expediente acabou, todos nós fomos até o Reino de Fiore dar uma esticada no HalfCocor Hotel Bar. Saindo de lá, eu já estava pra lá de alegre e Duke decidiu me acompanhar até o hotel como um bom cavalheiro que era. Eu dançava e cantava pela rua como se não me importasse com nada. Era bom ficar bêbada de vez em quando. Duke ria da minha cara e eu ria de volta.
- Vamos ver estrelas?
Duke: Acho que está meio tarde pra isso...
- Por favor?
Seguro ele pela mão, faço minha cara suplicante sorridente e consigo convencê-lo.
Duke: Vamos lá então...
Ele sorri e nós vamos até o Lake Sciliora. Ficamos andando por lá e olhando as estrelas.
- Sabe... Eu adoro o céu... Eu adoro luz... Isso seria um tanto quanto contraditório já que eu sou meia vampira. Vampiros normais têm aversão à luz. Eu sou fascinada por ela. Herdei de mamãe isso. O brilho das estrelas me fascina.
- Eu gosto de passar tempo com você, Duke! Está certo que eu não te conheço há muito tempo, mas eu me sinto bem perto de você! Eu não saberia explicar exatamente o porquê disso, mas creio que certas coisas na vida não têm explicação. Talvez nós dois seja uma delas!
“Que diabos eu estou falando? Eu mal o conheço! O que ele vai pensar de mim? Que legal! Essa louca sai gostando do primeiro que aparece?”
Sorrio e abaixo a cabeça com vergonha após o comentário. Acho que fiquei esperando ele responder algo, mas eu não saberia o que responder no lugar dele. Duke começa a tocar sua gaita e a música que ele tocava me deu coragem pra olhá-lo. Eu encaro os olhos dele. Eles eram marcados por muita bondade, mas eram muito sofridos. A impressão que eu tinha era que Duke não procurava um relacionamento tanto quanto eu, mas ao mesmo tempo ele queria companhia e alguém pra compartilhar seus sofrimentos. Acho que nós dois compartilhávamos os mesmos conflitos internos. Talvez por isso tivéssemos convergido pra aquele momento. Eu começava a ficar tonta. Mas não era a tontura de falta de sangue. Era a bebida mesmo. Quase caio do nada, mas Duke consegue me segurar. Nesse momento, eu sou dominada pelos meus instintos e enquanto ele me levantava em seus braços, eu não paro de encará-lo nem um segundo. Aquele momento era mágico, mas eu precisava lutar contra ele. Isso não foi nada fácil. Eu não queria assustar Duke. Não podia deixar me levar pelas emoções, ou seja lá o que aquilo era. Eu tinha que me controlar por mais difícil que isso fosse. Eu estava quase beijando Duke e ele parecia que ia corresponder o beijo também porque não fez nada para me impedir, quando me dei conta de que não podia continuar com aquilo. Paro de encará-lo subitamente e digo:
- Acho que eu preciso de sangue! Calma! Não o seu sangue! O meu sangue! Quer dizer... O sangue não é meu... É o que está na garrafinha! Eu não sei de quem é o sangue, na verdade!
Sorrio sem graça e ele ri de mim. Não sei o que ele pensava de mim naquele momento e talvez fosse melhor nem saber. Pego minha garrafa e dou um bom gole. Eu nem precisava de sangue de verdade, mas precisava sair da situação anterior. Ter uma crise pareceu bem conveniente.
- Eu tenho essas crises de vez em quando e pra sair delas, só sangue funciona. Peço desculpas por isso. Temos que agradecer que eu tenho garrafinha com sangue hoje. Senão, você teria que sofrer um pouco.
Sorrio sem graça. Queria me esconder naquele momento.
“Que mico, Spinel! Se ele não me achava louca, certo que vai estar achando agora! Será que ele quer ser amigo de uma louca pelo menos?”
- Acho que está na hora de ir, né? Eu preciso trabalhar amanhã de manhã! Quase esqueci disso!
Duke me leva em casa. Ele parecia ter ignorado solenemente o acontecido. Eu não estava achando isso ruim. Eu queria ter a companhia dele, mas não daquela forma naquele momento.
- Obrigada, Duke! Boa noite! Desculpa qualquer coisa!
Duke: Que isso. Até mais Spinel!
Dou um beijo na bochecha dele rezando pra ele não achar aquilo estranho. Ele sorri e eu entro no hotel. Abro a porta do quarto e a fecho em seguida. Fico encostada nela durante um tempo e depois sento no chão ainda apoiada na porta.
“O que diabos aconteceu hoje? Você está totalmente perdida, Spinel! Você precisa se recompor e descobrir o que quer! Você não quer relacionamentos... Mas... O Duke é tão... Mas nada! Sem conflitos! Eu sou uma mulher independente e que pode se virar sozinha! Ai ai Duke... Por que eu sinto esse aperto no coração? Por que isso? Eu nunca fui de me envolver. Eu não sou passional assim. O que aconteceu comigo? Eu preciso parar de sentir isso! Será que tem como?”
Começo a ter palpitações. Tomo um gole de sangue. Decido levantar e me arrumar pra dormir. Tranco a porta e vou ao banheiro.
“Amanhã! Será um novo dia e tudo estará melhor!”
Me arrumo e capoto na cama.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Dante
Habitante Ativo
avatar

Habitante Ativo


Mensagens : 919
Jewels : 16281
Warn : 0%
Data de inscrição : 19/04/2010
Idade : 27

Ficha do personagem
Guild Atual: Southern Wolves
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Qua 13 Out 2010, 12:39 pm

* Já tinha um Spoiler dessa parte antes xPPP *

Ta muito bommmmmmmmmmmmm ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ryukenshi
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 562
Jewels : 32605
Warn : 0%
Data de inscrição : 26/03/2010

Ficha do personagem
Guild Atual: Fairy Tail
Experiência:
0/100  (0/100)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 15 Out 2010, 2:25 pm

Achei a fic muito Boa só que no Capitulo V achei meio estranho que o Duke teve acho que apenas 3 ou 2 falas achei um pouco estranha essa parte mais o resto ta 10 ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 15 Out 2010, 2:58 pm

Ryukenshi escreveu:
Achei a fic muito Boa só que no Capitulo V achei meio estranho que o Duke teve acho que apenas 3 ou 2 falas achei um pouco estranha essa parte mais o resto ta 10 ^^

Olá Ryukenshi!
Obrigada por ler minha humilde fic! Q bom q vc gostou!!! Bom, ele não tem mtas falas mesmo, mas acho que não está fora do personagem dele. O Duke falará mais depois. No momento, ele e a Spinel não se conhecem tanto assim. Ela que fala pelos cotovelos sempre! Vai ver que você achou estranho pq ela fala demais e ele nem tanto! Mas isso é só porque está no começo do relacionamento dos dois. Ele falará mais eventualmente e ela continuará falando pelos cotovelos!!! Continue acompanhando!!!! Teremos mtas emoções pela frente!!!! ^_^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Dante
Habitante Ativo
avatar

Habitante Ativo


Mensagens : 919
Jewels : 16281
Warn : 0%
Data de inscrição : 19/04/2010
Idade : 27

Ficha do personagem
Guild Atual: Southern Wolves
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Sex 15 Out 2010, 4:39 pm

Ehh e além do mais, a protagonista da Fic eh a Spinel então tem que deixar ela falar mesmoo xDDD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alexis
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 82
Jewels : 5020
Warn : 0%
Data de inscrição : 14/08/2010
Idade : 30
Localização : Hosenka

Ficha do personagem
Guild Atual: Nenhuma
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 26 Out 2010, 9:10 pm

Eu já tinha visto um bom pedaço desse capítulo no teste da Spinel para entrar na Lamia, e o mesmo teste foi sensacional. Os posts da mari são tão fáceis e agradáveis de ler, ela está de parabéns! Continue sempre, sempre essa fic! ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
ByakuyaSaN
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 42
Jewels : 1262
Warn : 0%
Data de inscrição : 10/10/2010
Idade : 19

Ficha do personagem
Guild Atual: Southern Wolves
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Ter 26 Out 2010, 9:19 pm

Adoreeei, muito boa a fic, nota 10 ^-^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Spinel
Narrador
avatar

Narrador


Mensagens : 71
Jewels : 5305
Warn : 0%
Data de inscrição : 08/09/2010
Idade : 33
Localização : Brasília

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Qua 27 Out 2010, 3:38 pm

Eu decidi por o próximo capítulo na fic por conta do título dele que eu adorei. Ele se trata de um resumo do que aconteceu no salão principal da guilda quando Spinel ficou responsável por ele. Espero que gostem! São vcs leitores q fazem eu querer continuar! Obrigada! ^_^

Capítulo VI : Se beber, não discuta

Beber e ficar de ressaca era algo que eu, como meia vampira que era, não poderia fazer de jeito nenhum. Ou se bebesse, eu teria que me assegurar que não passaria por emoções fortes no dia seguinte. Brigar ou discutir de ressaca não eram coisas que eu poderia fazer. Eu estava prestes a descobrir isso da pior forma possível. Acordo com uma dor de cabeça insuportável e minha cabeça latejava. Levanto da cama com dificuldade e lavo o rosto. Eu não queria me olhar no espelho, mas teria que enfrentá-lo em algum momento. Vou até a cozinha e tomo meu café da manhã com direito a duas doses de sangue. Achei que seria suficiente. Normalmente uma dose já era o suficiente. Imaginei que dobrando a dose tudo ficaria bem. Eu não sabia o quão letal o álcool era pra mim. Termino o café e me sinto um pouco melhor. Tomo o banho e foi aí que comecei a pensar no que havia acontecido na noite anterior. Decidi que era melhor agir conforme ele agisse. Talvez fosse melhor fingir que nada aconteceu.
“Eu tinha que estar morrendo de vergonha, isso sim! O que eu vou dizer pra ele? Ah! Sabe ontem? Esquece! Melhor deixar as coisas acontecerem! Isso! Dependendo de como ele agir, eu ajo de forma condizente com a dele. Pense no lado bom, Spinel! Poderia ser pior! Você poderia ter atacado o pescoço dele! Eu diria que o quase beijo é realmente menos vergonhoso que uma mordida sangrenta! Eu diria que é normal! As pessoas quase se beijam todos os dias! Mas elas não se mordem pra tomar sangue uma das outras todos os dias! Ok! Devia ter parado no normal!”
Saio do banho e a dor de cabeça retorna.
“Brilhante idéia beber demais tendo que trabalhar no dia seguinte de manhã! Por que será que eu esqueci completamente desse detalhe ontem? Ai ai...”
Eu estava de ressaca, porém feliz e um tanto quanto nervosa. Era a primeira vez que eu tomaria conta de algo sozinha. Ayame, Tina e Ellita haviam decidido ir ao Waterland e me deixaram tomando conta das coisas no salão. Eu me sentia muito irresponsável por estar de ressaca, mas honrada por elas terem confiado em mim. Dou um bom gole na minha garrafinha assim que chego ao salão. A primeira pessoa que encontro é Meredice. Ela era um criatura um tanto quanto mal humorada, mas estava excepcionalmente de bom humor naquele dia para minha surpresa. Trocamos algumas palavras, ela vai pra cozinha e eu vou trabalhar. Eu não ia muito com a cara de Meredice. Ela parecia meio travada pra mim. Ela sempre estava tensa. Relaxar, não era uma palavra que fazia parte de seu vocabulário. O movimento no salão estava bem baixo aquele dia. Eu fico algum tempo parada tendo pensamentos conflitantes sobre a noite anterior. Eu estava acostumada a ficar sozinha, mas naquele dia, eu não estava querendo ficar sem ninguém. Eu não sabia por que, mas não tardaria a descobrir. Estou secando os copos no balcão quando Duke chega e me cumprimenta como se nada tivesse acontecido. Fico tensa e aliviada com aquilo. Abro um sorriso e me acalmo instantaneamente ao ver o sorriso dele. Eu gelo por dentro. Uma ponta de vergonha se instala em meu ser. Eu olho pra ele e vejo aquele sorriso. Instantaneamente, eu fico calma ao ver como ele agia. Ele resolveu relevar o fato. Eu não pensei se achava isso bom ou ruim, mas decidi não fazer com que o incidente interferisse na nossa amizade. Sorrio.
Duke: Bom Dia Spinel...Soube das férias dos magos e que vai ficar cuidando do salão.
- Bom dia, Duke! Dormiu bem?
“Eu dormi confusa! Acordei melhor, mas acho que você não precisa saber disso, sabe? Nada aconteceu!”
- Digamos que eu sou a dona do lugar por alguns dias! Meredice que não me ouça falando isso! Ela está num bom humor! E a ressaca é algo que assola meu ser! Ela também não pode saber disso! Ela está soltando fogos porque Tina, a nossa bêbada de plantão, não está por aqui. Confesso que vir trabalhar hoje depois de ontem foi algo difícil de ser feito! Minha cabeça não está colaborando comigo hoje! A sua também faz uns zumbidos esquisitos ou é só comigo?
Duke: É eu também acordei com um pouco de dor de cabeça.
- Bom saber que não sou a única!
Duke: Posso te ajudar com o salão?
- Ajuda? Você pode tocar uma música bem animada pra me animar! Por favor?
Vejo Duke olhando pro balde com o esfregão e mudo de idéia quanto a música. Digo:
- Ou a gente pode trabalhar em conjunto! Tem outro esfregão de onde esse veio.
Sorrio e olho pro palco. Corro até lá e ligo o artefato mágico que emite ondas sonoras através de uma antena que as capta. O aparato tocava uma música que eu adorava.
Pego o outro esfregão lá dentro e o jogo pra Duke.
- Pronto! Podemos fazer a festa agora!
Começo a limpar o salão como se estivesse em uma pista de patinação artística. Eu dançava e cantava animadamente enquanto limpava o chão. Sorrio pra ele o encorajando a fazer o mesmo.
“Espero que Meredice não me odeie por isso. Mas que graça teria trabalhar sem se divertir?”
Duke se junta a mim e nós começamos a dançar juntos pelo salão ao mesmo tempo em que esfregávamos o chão. Tudo correu bem até o momento em que eu decidi discutir com Meredice. Ela não gostou da barulheira toda e saiu da cozinha pra reclamar. No meio do caminho ela leva um tombo por conta do chão molhado caindo de bunda no chão. Aquilo a deixa um tanto quanto descontrolada, ela grita de raiva e levanta bufando.
Meredice: O que você está fazendo, Spinel? Desorganizando o salão todo! Que tragédia! Eu sabia que não podia confiar em você! Você é igual as outras três!
- Eu não estou desorganizando nada! Estou apenas limpando de forma divertida! Você devia aprender a fazer isso de vez em quando, Meredice! Se divertir, sabe? E pra sua informação, eu não vejo problema nenhum em ser igual a elas. Eu teria problemas se fosse igual a você!
Meredice: Veja como fala comigo, mocinha! Se você não parar de fazer barulho, eu vou dar um jeito de te demitirem, isso sim!
- Ok! Eu faço silêncio!
Falo isso sorrindo revoltada e vou desligar o aparato musical.
“Vou rezar pra que um dia você não ouça som nenhum pra ver como é bom! Eu preciso desse emprego! Aaaaain! Como eu queria não precisar pra poder descontar minha raiva nela!”
Tive que me controlar pra não avançar em cima de Meredice. Fui desligar o aparato contra a minha vontade. No meio do caminho, começo a tremer e a suar frio antes de chegar ao artefato musical pra desligá-lo. Era a minha maldita crise de novo. Só que dessa vez, ela veio mais forte. Eu comecei a tremer, a suar frio e não conseguia me mexer. Acabo ficando sem reação e despenco no chão inconsciente. Duke ia tocar uma música animada em sua gaita quando me vê despencar no chão. Ele se desespera ao ver aquilo e fica sem saber o que fazer. Ele acaba por pegar uma faca no bar, se corta e me alimenta com seu próprio sangue. Sou salva pelo sangue de Duke e a partir desse dia, prometi a mim mesma que nunca mais beberia descontroladamente. E se bebesse, não sairia de casa no dia seguinte.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://maripheebs.blogspot.com/
Duke Burera
Habitante Novato
avatar

Habitante Novato


Mensagens : 305
Jewels : 8401
Warn : 0%
Data de inscrição : 30/07/2010

Ficha do personagem
Guild Atual: Lamia Scale
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila de Itens:

MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   Qua 27 Out 2010, 3:53 pm

Ótimo episódioooooooooo xD

* Já tinha lido antes *
AhuAHUAUHAhau

Continue que sua fic ta virando um sucessooooo xD
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado





MensagemAssunto: Re: [Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

[Fan-Fic] - Spinel: Diário de uma vampira híbrida feliz

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
fairy tail DESTINYs :: Off-Topic :: Fan-Arts & Fan-Fics-
Criar um fórum | © phpBB | Fórum grátis de ajuda | Fale conosco | Assinalar uma queixa | Criar um fórum